Dr. Rafael Parente

Tendinite calcária: sintomas e tratamento

Tendinite calcária

A tendinite calcária é uma patologia que provoca dores e dificuldades de movimentar o membro afetado, por conta de deposição de pequenos cristais de cálcio em um tendão. Estes cristais geralmente são absorvidos pelo organismo, mas quando isso não ocorre e a substância se acumula, é necessário fazer um diagnóstico correto e contar com tratamentos que vão de fisioterapia a cirurgia (em casos mais graves).

Geralmente ocorre em pacientes com mais de 40 anos, afetando na maioria dos casos o ombro, nos tendões manguito rotador e supra-espinhoso.

Como saber se tenho tendinite calcária?

Os sintomas principais são inflamação e dor, além de dificuldades para movimentação e diminuição da amplitude de movimento. Para fazer o diagnóstico é preciso consultar um médico ortopedista, que através de exames de imagem pode observar a presença de área esbranquiçada onde fica localizada a calcificação. 

No estágio inicial da patologia o depósito de cálcio é lento, durando meses e causando dores leves e desconforto, como uma tendinite comum, porém, a tendência é o agravamento do caso, provocando o depósito parcial do cálcio, ou ainda, a absorção total da substância pelo organismo.

Você mesmo, ao apalpar o tendão, pode notar a presença de dor, mas para entender os motivos somente um exame de imagem poderá confirmar ou não a patologia, por isso a necessidade de consultar um especialista, que com as radiografias em diferentes rotações irá observar corretamente. 

Em situações específicas, outros exames de imagem podem ser exigidos, como ultrassonografia e ressonância magnética. 

Como é o tratamento?

O tratamento na maioria dos casos indicado é a fisioterapia, diminuindo a inflamação e a dor dos tecidos ao redor. Em alguns pacientes também é indicada a terapia com ultrassom para reduzir a calcificação. 

Já em casos mais graves, a artroscopia pode ser uma indicação, com a raspagem do local calcificado, além de infiltrações com anestésicos e corticoides, desde que aplicados moderadamente, em sintomas de dor aguda. 

A reabilitação com fisioterapia pode durar cerca de quatro meses, por isso, quanto antes o diagnóstico for realizado, mais rápida será a sua recuperação. Agende uma consulta para que a gente investigue seu caso.

Sobre o Dr. Rafael Parente

Médico ortopedista e traumatologista, especialista em cirurgia do ombro e cotovelo com atuação em Brasília, no Distrito Federal. Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo.
Atua com tratamento cirúrgico de fraturas do ombro e cotovelo, infiltrações articulares, tratamento de lesão do manguito, luxação no ombro ou cotovelo, epicondilite, bursite, lesão do bíceps, lesão do peitoral, lesão do tríceps e dores no ombro em geral.
Atende na Clínica de Ortopedia, Traumatologia e Especialidades (COTE), no Hospital Santa Lúcia Norte e na Elev Ortopedia Especializada, em Brasília. Para mais informações,  clique aqui.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
SIGA MEU INSTAGRAM

Powered by Evolua Doutor