Dr. Rafael Parente

Instabilidade no ombro: o que fazer

Instabilidade no ombro

Você já deve ter ouvido a expressão ou até mesmo dito: “meu ombro saiu do lugar”. Essa sensação tem nome, se chama Instabilidade do Ombro, e é uma patologia onde o paciente não tem firmeza ou segurança da articulação, ou seja, falta de segurança nos movimentos do local.

Causas da instabilidade no ombro

Isso acontece devido a alguns fatores, entre eles, acidentes (com trauma de grande impacto, como em carros ou até na prática de esportes) e hiperelasticidade articular generalizada, que é uma frouxidão articular de nascença. Outra causa são alterações anatômicas congênitas, com a ausência de ligamentos do ombro por malformação, por exemplo.

Por praticamente não existir encaixe ósseo entre os ossos da articulação do ombro, movimentos bruscos permitem grandes movimentos. Entretanto, isso também facilita o deslocamento da articulação. 

Em esportes de contato físico como lutas, futebol, handebol e basquete, as lesões de instabilidade do ombro são mais comuns. Mas as atividades sem contato também podem provocar a lesão, por conta do esforço repetitivo e prática incorreta de movimentos. 

Tipos de instabilidade no ombro

Também existe incidência em pacientes de mais idade, devido a perda natural de massa muscular, arriscando a saúde dos ombros. Existem alguns tipos de instabilidade:

  • Luxação Traumática: quando o ombro sai do lugar após um trauma inicial;
  • Luxação Voluntária: quando o ombro sai do lugar “por vontade” do paciente, que percebe a possibilidade de deslocamento e a faz;
  • Luxação Atraumática: quando o ombro sai do lugar mesmo sem trauma grave inicial, com predisposição de frouxidão;
  • Frouxidão Articular sem Instabilidade: quando o ombro tem o movimento aumentado e sai parcialmente do lugar, porém, sem sintomas como dor;
  • Frouxidão Articular com Instabilidade: quando o ombro tem o movimento aumentado e sai parcialmente do lugar, causando dor;
  • SLAP Lesion: quando o tendão do bíceps se “solta” dentro da articulação.

O que fazer?

Quando uma pessoa desloca o ombro deve procurar imediatamente um serviço de emergência hospitalar para verificar o caso e recolocar a articulação no lugar de um modo seguro. Após, é preciso ter um diagnóstico completo com especialistas. 

Para um diagnóstico, o essencial é consultar com um ortopedista, que vai conversar com o paciente e fazer exames físicos. Conforme a necessidade, alguns testes podem ser requeridos, como Raio X, Ultrassonografia, Artrografia, e até Ressonância Magnética.

Os tratamentos irão variar de acordo com a gravidade e o tipo de caso. Para alguns pacientes, o tratamento inicial é realizado com fisioterapia, que vai trabalhar o reforço muscular, e em casos mais sérios, com cirurgia artroscópica. Agende sua consulta e faça um diagnóstico completo para não ter mais seu ombro deslocado!

Sobre o Dr. Rafael Parente

Médico ortopedista e traumatologista, especialista em cirurgia do ombro e cotovelo com atuação em Brasília, no Distrito Federal. Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo.
Atua com tratamento cirúrgico de fraturas do ombro e cotovelo, infiltrações articulares, tratamento de lesão do manguito, luxação no ombro ou cotovelo, epicondilite, bursite, lesão do bíceps, lesão do peitoral, lesão do tríceps e dores no ombro em geral.
Atende na Clínica de Ortopedia, Traumatologia e Especialidades (COTE), no Hospital Santa Lúcia Norte e na Elev Ortopedia Especializada, em Brasília. Para mais informações,  clique aqui.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
SIGA MEU INSTAGRAM

Powered by Evolua Doutor