Dr. Rafael Parente

Complicações cirúrgicas na cirurgia do ombro

O preparo adequado do paciente é essencial para evitar complicações na cirurgia do ombro. Entenda quais os cuidados importantes para o sucesso do seu procedimento.

Muitos pacientes, ao receberem o diagnóstico que recomenda a cirurgia nos ombros, temem as complicações do procedimento. Seja durante a operação ou mesmo no pós-operatório, complicações podem surgir. Por isso, é bom estar preparado para entender o que está acontecendo e seguir as recomendações, pois assim os riscos serão reduzidos.

Entre as patologias no ombro que mais são recomendadas o tratamento cirúrgico, estão a ruptura do manguito rotador, artrose, luxação recidivante e rigidez dos cotovelos. De acordo com cada caso, podemos utilizar tanto a cirurgia aberta, como por exemplo no caso de próteses, ou a cirurgia minimamente invasiva, através de vídeo, como por exemplo em luxações.

Quanto maior o porte cirúrgico, maiores são as chances de complicações, mas vários fatores podem contribuir para esse quadro, como a presença de doenças associadas em pacientes, como:

  • Diabetes
  • Arritmia
  • Tabagismo
  • Pressão Alta

O preparo adequado do paciente é essencial para evitar outras complicações. Por isso, realizar uma avaliação pré-operatória minuciosa traz vantagens tanto para a equipe médica como à pessoa que será operada. 

Já a reabilitação tem um papel fundamental para o período pós-operatório em lesões do ombro, com diferentes etapas, todas importantes para o processo de cura. Iniciamos com analgesia e relaxamento muscular, com a imobilização do ombro total e uso de tipoia.

Após um mês, podemos iniciar os exercícios para ganho de amplitude de movimento articular, com fisioterapia. Dentro de um mês e meio, mais ou menos, já podemos realizar exercícios ativos, com a retirada total da tipoia, seguindo de exercícios ativos resistidos e, por fim, exercícios isocinéticos.

Todo esse cuidado faz parte também do tratamento, portanto, deve-se entender que a cirurgia não é o último passo para a recuperação de sua lesão. Um retorno mais tranquilo às atividades físicas pode ocorrer em até seis meses após o procedimento, de acordo com a recuperação de cada paciente. 

Sobre o Dr. Rafael Parente

Médico ortopedista e traumatologista, especialista em cirurgia do ombro e cotovelo com atuação em Brasília, no Distrito Federal.  Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo.

Atua com tratamento cirúrgico de fraturas do ombro e cotovelo, infiltrações articulares, tratamento de lesão do manguito, luxação no ombro ou cotovelo, epicondilite, bursite, lesão do bíceps, lesão do peitoral, lesão do tríceps e dores no ombro em geral.
Atende na Clínica de Ortopedia, Traumatologia e Especialidades (COTE), no Hospital Santa Lúcia Norte e na Elev Ortopedia Especializada, em Brasília. Para mais informações,  clique aqui.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
SIGA MEU INSTAGRAM

Powered by Evolua Doutor