Dr. Rafael Parente

3 perguntas sobre cirurgia no ombro

cirurgiano ombro

Grandes avanços na medicina permitiram que a cirurgia no ombro seja uma das mais inovadoras nos últimos anos. Com materiais e equipamentos para auxiliar no diagnóstico, atualmente esse tipo de procedimento é seguro e apresenta ótimos resultados. 

Quando o paciente apresenta algum problema no ombro pode ser necessário intervenções para manter a estabilidade da articulação. Por isso, hoje quero responder três dúvidas frequentes que surgem de pacientes sobre a cirurgia do ombro. Confira abaixo.

Existe uma forma de não precisar abrir o ombro para conferir a articulação?

Sim, essa técnica é chamada de artroscopia. Nela, conseguimos enxergar diretamente dentro da articulação do ombro através de uma pequena câmera. Dessa forma, são realizadas pequenas incisões ou cortes na pele, sendo considerada uma técnica minimamente invasiva, com recuperação mais rápida. 

É difícil a recuperação de uma cirurgia no ombro?

Seguindo as orientações corretamente, a recuperação pode ocorrer em até 12 semanas, dependendo do caso. O uso de tipoia, por exemplo, é indispensável, porque dá suporte ao ombro para anular os efeitos da gravidade e não tracionar os tendões.  Também é necessário seguir as recomendações médicas quanto ao uso de medicamentos, como anti-inflamatórios e antibióticos.

Outro cuidado que não pode passar despercebido é a higiene após o procedimento. Lavar o local com água corrente, ou soro fisiológico é essencial, não esquecendo de após manter tudo muito seco. Além disso, a posição para dormir é importante, pois deve-se manter a articulação imobilizada, então, dormir em uma posição reclinada, com o apoio de almofadas é importante durante o pós-cirúrgico. A fisioterapia possui papel fundamental na reabilitação, para recuperar as funções e a mobilidade total do ombro. 

Como é feito o diagnóstico para uma cirurgia no ombro?

Primeiramente, você deve fazer uma avaliação prévia dos seus sintomas. O ideal é, ao sinal das primeiras dores e desconfortos, procurar o ortopedista. A partir daí, o especialista irá resgatar seu histórico clínico, seguido de exame físico.

Estão incluídos exames de radiografia, Ressonância Magnética e Ultrassonografia para a suspeita de ruptura dos tendões do manguito rotador. A Ressonância é ideal nesse sentido, porque avalia de forma completa os tendões e ligamentos. Já as radiografias nos fornecem informações importantes da parte óssea. Estes procedimentos são necessários para definir se a dor é proveniente do ombro, pois em alguns casos, ela é proveniente da coluna cervical. Por isso, o diagnóstico deve ser feito somente por um especialista. Em caso de dores, agende sua consulta. 

Sobre o Dr. Rafael Parente

Médico ortopedista e traumatologista, especialista em cirurgia do ombro e cotovelo com atuação em Brasília, no Distrito Federal. Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo.

Atua com tratamento cirúrgico de fraturas do ombro e cotovelo, infiltrações articulares, tratamento de lesão do manguito, luxação no ombro ou cotovelo, epicondilite, bursite, lesão do bíceps, lesão do peitoral, lesão do tríceps e dores no ombro em geral.
Atende na Clínica de Ortopedia, Traumatologia e Especialidades (COTE), no Hospital Santa Lúcia Norte e na Elev Ortopedia Especializada, em Brasília. Para mais informações,  clique aqui.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
SIGA MEU INSTAGRAM

Powered by Evolua Doutor